Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

EntreNós

Desventuras pelos Países Baixos

Ir a Roterdão e não dar um pulo a um dos locais mais inspiradores de sempre é um crime! Assim o diz a Catarina, que já cá tinha estado há uns meses, quando acompanhou o Kiko (mano mais novo) nas suas audições para o Conservatorium van Amsterdam (novidades sobre o Kiko e Amesterdão daqui a uns dias!).
 

E de que lugar vos falamos? Chama-se Kinderdijk, é Património Mundial da UNESCO e é uma pequena localidade paradisíaca situada 20km a sudeste de Roterdão, composta por 19 moinhos que remontam ao século XVIII.
Se o tempo estiver sorridente, é, sem dúvida, um Must Go!
 

Estes dias em Roterdão, porém, não foram os mais solarengos. Ora, no único dia em que o  sol nos sorriu e acordámos a uma hora decente, tivemos um contratempo.

A Catarina não pensou que talvez não fosse boa ideia colocar o iPhone no bolso (sem fecho) da camisola, enquanto andávamos de bicicleta. Deu asneira, obviamente!

 

Cerca de 20 minutos depois de sairmos de casa, ao procurar o telefone para tirar uma fotografia, a despassarada apercebeu-se que estava "mais leve". De repente, aquele som que o João tinha ouvido pouco depois de sairmos de casa e não percebeu o que era, fez sentido. Tinha sido o iPhone da Catarina na sua trágica queda.

Fotografias, vídeos, contactos. All gone! :'(  
Voltámos atrás, sempre com muita atenção ao chão, mas era quase como procurar uma agulha num palheiro. Passámos a pente fino a zona onde ele supostamente teria caído, mas nada.

A esperança perdeu-se e fomos para casa tristonhos. Eis quando… o João recebe uma mensagem! Era “da Catarina”! Esta alma caridosa encontrou o iPhone, desbloqueou-o (ainda hoje não sabemos como) e enviou uma mensagem para o João. O anjinho da guarda da Catarina não dorme em serviço! Que sorte!
Combinámos ir buscar o telefone a casa do rapaz que ficava do outro lado de Roterdão .

Acompanhados pela Ivana, tivemos direito a uma “bike tour” por Roterdão.

Chegámos a casa dos nossos salvadores. Era uma família super simpática do Suriname (há muitos emigrantes deste país na Holanda). Deixámos um postal com uma mensagem de agradecimento e o nosso contacto para se alguma vez fossem a Portugal e precisassem de algo. 
 

Não houve Kinderdijk, mas houve emoção e uma história para contar.

(A Catarina deixa algumas fotos que tirou da ultima vez que lá esteve para vos despertar a curiosidade)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E agora, Amesterdão!

2 comentários

Comentar post