Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

EntreNós

10 "Sabias que?..." de Paris

1. Paris. Cidade da luz.

Por ter os principais monumentos iluminados durante a noite?

Por estar repleta de lâmpadas? (curiosidade: São Paulo tem mais lâmpadas que Paris e Nova Iorque juntas! Xinaman!!)

Por ter sido cidade pioneira na eletricidade?

 

Nenhuma das anteriores. 

 

Na verdada, a razão deste nome tem uma origem simples e lógica:

o Iluminismo.

No século XVIII, intelectuais tentavam explicar o funcionamento do universo com a razão e a ciência, usando as suas mentes "iluminadas". Como uma grande parte deles se fixou em Paris...... Tcharan!

 

voltaire.jpg

Já dizia o poema: "Há mar e mar, há ir e Voltaire" 

 

 

Para os mais românticos, Paris é a cidade do amor!

Para os mais fashion: a cidade da moda.

Para os mais sonhadores: a cidade da liberdade.

 

 

2, 3, 4 e 5 (Tudo de NOTRE DAME):

2. Notre Dame é o monumento preferido dos parisienses!

3. É na praça em que está construída Notre Dame que se situa o centro geográfico de Paris ("point zero" ou "km 0")

 

12552906_10207091338274167_356242485531094621_n.jp

 

 

4. O construtor de Notre Dame tem a sua representação numa estátua na frente da catedral.

5. Se nos colocarmos numa posição específica (centrada horizontalmente, um pouco atrás do "point zero"), nossa senhora "ganha" uma coroa, formada pela parte central da rosácea. O truque é começar perto da entrada e ir andando para trás até ver a coroa a colocar-se de forma perfeita sobre a cabeça de nossa senhora.  

 

 

6. O videoclip da Someone Like You da fofinha Adele foi gravado na Ponte Alexandre III.

 Ver vídeo AQUI

 

 

7. Apesar de se passar em Londres, a acção do filme Sweeney Todd é baseada numa história verídica e macabra sucedida em Paris, numa rua colada a Notre Dame. Cuidado com as empadas que comerem por aí... 


Confirmar que sei a história AQUI

 

 

8. Os gelados Berthillon - que nós provámos! :D - são considerados dos 10 melhores do mundo. Apesar de não termos connhecido ainda os outros top 10, este foi, sem dúvida, o melhor gelado que já provámos!

 

 

9. E se Amélie Poulain lhe servisse um café? Bom, o café está lá, a Amélie é que talvez não. O café Des Deux Moulins situa-se em Montmartre mas ficámos com a ideia que nem toda a gente sabe que ele existe.

 

amelie-cafe.jpg

 

 

 

10. Paris é um dos principais destinos turísticos do velho continente e, na nossa opinião...... bem merece! Todos os anos 44 milhões de turistas visitam a capital francesa.

Não sentimos, no entanto, aquele frio na barriga de: "Que brutal!, quero vir viver para aqui o resto da minha vida! Amo esta cidade!!" Mas gostámos muito!

Je ne regrette rien - As 20 paixões de Paris

Em Paris é possível encontrar algo para visitar a cada virar de esquina, mas vamos nomear o nosso top 20 de "must do".

  

 

1. Notre dame

Em Paris planeámos fazer 2 ou 3 FWT, mas apenas fizemos uma (contamos esta história num próximo post). E foi precisamente centrada numa das mais célebres catedrais do mundo.
Decidimos colocá-la em primeiro lugar na lista, pois, apesar de todo o mediatismo da Torre Eiffel, Notre Dame é o monumento mais acarinhado pelos parisienses.

Curiosidades estonteantes sobre Notre Dame no post: "Sabias que..? - Paris"

 

12645097_10207127045366822_8018319707248556938_n.j 

 

 

 

 

2. Tour Eiffel

Vamos ser sinceros. A primeira vez que vimos a Torre Eiffel "in loco" na nossa vida, ficámos na dúvida se seria realmente a Torre Eiffel ou uma antena gigante. Juramos a pés juntos que não tínhamos fumado nada. E pensámos para nós que se fosse, realmente, o famoso monumento, deixava um pouco a desejar.

Mas quando pudemos vê-la mais de perto e nos apercebemos da sua gigantez, chegámos rapidamente à conclusão que a primeira impressão tinha sido enganadora.

O melhor local para a namorar é nos "jardins du trocadéro".

 

pp6.jpg

 

 

 

 

3. Arco do Triunfo

Este foi o primeiro monumento de renome que vimos em Paris (fizemos o trajecto a pé desde Port Maillot até Saint-Michel) e, tem, por isso, um cantinho especial no nosso coração. Desconhecíamos que estava no "meio da estrada" e que era circundada pelos automóveis.

 

pp1.jpg

 

 

 

 

4. Champs Élysées 

Também passámos por esta famosa avenida no dia em que chegámos à capital francesa e ficámos com a ideia que era a Avenida da Liberdade mas maior (tem quase o dobro do comprimento). É a segunda avenida mais cara em imóveis na Europa, apenas ultrapassada pela Bond Street em Londres.

 

 

5. Louvre

Fotos com as pirâmides no exterior do museu ou com a Mona Lisa estão na bucket list de qualquer um que visite Paris. É, um dos maiores e mais famosos do mundo e todos se perguntam como a estátua do João e da Catarina ainda não está lá.

 

12573030_10207127044686805_5145229927543612513_n.j

 

 

 

 

6. Sacré-Coeur e Montmartre

Adorámos a arquitectura exterior desta basílica em Montmartre! As suas cúpulas fazem lembrar o Taj Mahal. Além de o monumento ser lindíssimo, há ainda a possibilidade de apreciar a magnífica vista sobre Paris.

Na subida para a basílica é imperdível a passagem pela Place du Tertre, onde estão possivelmente alguns dos melhores caricaturistas do mundo. Façam uma!

Na base de Montmartre podemos encontrar o Moulin  Rouge e o famoso café Les Deux Moulins (Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain).

 

12661886_10207127043766782_5950113539039225800_n.j

 

 

 

 

7. Livro nas margens do Sena

Comprar um livro numa das muitas barraquinhas nas margens do Sena e em seguida ir lê-lo com o rio como pano de fundo, é algo que recomendamos a qualquer um que passe por Paris. O local é emblemático e perfeito para umas horas de leitura.

 

 

8. Bateaux-Mouche

 Dar um passeio de barco pelo Sena é outra das nossas opções para o top 20. As paisagens, os monumentos, as histórias.. tudo faz com que a derrota do Benfica nesse fim-de-semana, seja um mal menor.

 

 

9. Moulin Rouge

Esta é uma daquelas atrações em que ficamos chateados por ser tão cara (ou por sermos tão pobres). Um show num dos maiores cabarets do mundo deve ser espetacular! O bilhete mais barato é 82€. Como a Catarina também é muito forte no can-can, o João optou por um espetáculo privado e grátis.

 

pp2.jpg

 

 

 

 

10. Palácio de Versalhes

Passámos uma tarde bem divertida com a nossa prima Fátima neste magnífico palácio. A entrada é grátis para menores de 26 anos.

O interior do palácio está carregado de História e luxuosas relíquias, tendo na Galerie des Glaces o seu expoente máximo. 

Para completar uma tarde bem passada em Versalhes, falta a visita e passeio pelos jardins, extensos e belíssimos.

 

IMG_6876.PNG

 

 

 

 

11. Panteão

Situado no Quartier Latin, este imponente monumento neoclássico acolhe os corpos de dezenas de personalidades famosas: Alexandre Dumas, Jean-Jacques Rousseau, Jean Monet, Marie e Pierre Curie, Voltaire, entre outros. 

 

 

12. Topo das galerias LaFayette

Este talvez seja dos "Must do" menos famosos de Paris, mas é imperdível.

Ao longo de 10 andares vendem-se as mais luxuosas marcas. Mas o mais interessante, pelo menos para nós, encontra-se no último piso. Subindo ao terraço das galerias (só até às 17h) tem-se acesso a uma vista (quase panorâmica) de Paris de forma gratuita. 

 

1929910_10207127045326821_577798404821932975_n.jpg

 

 

 

 

13. Cadeado na ponte

Estima-se que haja perto de 1,5 milhão de cadeados presos às 11 pontes de Paris e a outros monumentos famosos, incluindo a Torre Eiffel. Apesar de terem sido removidos da Pont des Arts, os cadeados continuam a florescer na capital francesa.

Há um sentimento misto de desejo de colocar o cadeado e de compreensão dos problemas que esse acto pode trazer para Paris. Colocar um cadeado ou não colocar?, eis a questão.

  

 

14. Cemitério Père Lachaise

É o maior cemitério de Paris e um dos mais famosos do mundo. Entre as personalidades lá sepultadas, encontram-se: Oscar Wilde, Maria Callas, Jim Morrison, Molière.

 

 

15. Ponte Alexandre III

É a ponte mais ornamentada e extravagante de Paris. Já entrou em vários filmes e contamo-vos uma curiosidade sobre ela no próximo post "Sabias que?.. - Paris".

 

IMG_6924.JPG

 

 

 

 

16. Praça da República

É no Monumento à República situado nesta praça que os parisienses prestam as suas homenagens às vítimas dos atentados. Aconteceu em Janeiro de 2015 após o massacre do Charlie Hebdo e novamente em Novembro, depois dos vários atentados na capital francesa.

É impossível ficar indiferente quando nos deparamos com aquele monumento repleto de centenas de mensagens, dedicatórias e despedidas.

 

 

17. Baguette

Sair de Paris sem provar uma das suas principais iguarias é crime! Nós optámos por uma baguette peculiar da Boulangerie Coquelicot em Montmartre. Era deliciosa, asseguramos!

 

pp8.jpg

 

 

 

 

18. Macarrons

Ainda hoje temos pesadelos com o dinheiro que gastámos em dois macarrons, mas... a vida são dois dias! :D Seguimos as instruções do nosso guia das FWT e fomos provar possivelmente os macarrons mais caros de Paris, na Pierre Hermé. 2,10€ cada um! Mas valeram cada cêntimo. Deliciosos! 

 

 

pp7.jpg

 

 

 

 

19. Gelados Berthillon

Há quem diga que são os melhores do mundo! Nós não podemos comprovar porque ainda temos muitos para testar, mas que são deliciosos, lá isso são! Percebe-se a diferença na textura e paladar quando comparados com um gelado "normal". Mnham!.. A cada lambidela, uma explosão de sabores. Um autêntico orgasmo gastronómico. Queríamos um destes por dia! Ou dois! :p

 

IMG_7227.JPG

 

 

 

  

20. Croissants 

Para terminar este post e deixar-vos com um pouco de água na boca, falemos dos famosos croissants franceses. Ou deveríamos dizer croissants vienenses?.. Não podemos dar-vos a papinha toda feita se não vocês ficam preguiçosos. Vão ao google e descubram a história. Ah, e leiam-na acompanhada de um croissant!

 

Até já, seus pequenos dragões-de-komodo!

Paris, finalmente! - Uma cama, por favor!

6:30 não é propriamente a melhor hora para se apanhar um voo. Implica estar no aeroporto por volta das 5h-5h30 e iniciar o processo "mochila às costas" às 4h-4h30.

No nosso caso foi ainda mais chato porque o primeiro comboio para El Prat (Barcelona) era só às 5h, o que era um pouco arriscado. Tivemos, então, que optar pelo último autocarro, que apanhámos à 1h40.

Tenta-se sempre fazer uma sesta naquelas 3-4h de espera, mas nada ajuda: cadeiras desconfortáveis, algum receio com mãos alheias nas nossas malas (então em Barcelona, cidade conhecida pelos carteiristas ninjas, ui!..), medo de não acordar a tempo do voo, etc...

 

12376203_10207094272387518_5341905859826687280_n.j

 

No avião também não foi fácil. O João tinha um miúdo atrás que achou que a sua cadeira dava um bom instrumento de percussão e resolveu praticar os seus skills durante uma boa parte da viagem. Depois, houve alguma turbulência que dificultou ainda mais a soneca necessitada.

Aterrámos em Beauvais e sonhávamos com uma cama, mas a prima do João onde íamos ficar, vive a 40 minutos de Paris e não queríamos desperdiçar um dia inteiro (ir e voltar era chato e dispendioso).

Autocarro de Beauvais até Port Maillot (com uma pequena soneca de 1h, finalmente!) e depois um passeiozinho: Arc de Triomphe, Champs Élysées, margem do Sena e...... quebrámos. Não aguentámos mais e decidimos ir para casa da prima Fátima.

 

12509292_10207094286427869_2118142334803039782_n.j

 

 

Mais um comboio de 40 minutos e estávamos finalmente a ser recebidos pela melhor host de toda a viagem, até agora (e duvidamos que haja melhor)! Explicamos a razão deste prémio mais à frente.

Calma, pequenos crocodilos! Este post foi um bocadinho mais descritivo e, talvez, secante, mas não percam os próximos episódios na cidade da luz e do amor porque vão ser bem espetaculares e doidos! 

 

Teasers: uma segunda mãe, os melhores gelados do mundo e a primeira nota negativa para as FWT!

À plus tard!

 

 

Adorámos e Odiámos - Barcelona

Em todas as cidades que visitamos haverá sempre coisas espetaculásticas e que vamos querer repetir futuramente, mas também, aquelas que foi a primeira e provavelmente a última vez que experimentámos.

Odiar talvez seja uma palavra muito forte, mas "ADORÁMOS E NÃO GOSTÁMOS LÁ MUITO" não soa lá muito bem. Há, por isso, coisas que colocaremos no "ODIÁMOS" mas que na verdade apenas "não gostámos lá muito".

 

 

Em Barcelona, ADORÁMOS:

 

T10 - Este passe é realmente barato e prático. Sem dúvida, a melhor opção para quem vai passar alguns dias à capital da Catalunha.

 

Fruta da Boqueria - A saltitar de um lado para o outro, nem sempre conseguimos ter a alimentação que mais gostaríamos. No mercado da Boqueria encontrámos fruta deliciosa e fresca que nos soube maravilhosamente bem!

 

12439202_10207058141124259_2297005906662270022_n.j

 

 

Arte - Barcelona está repleta de maravilhosas peças arquitectónicas. De entre todos os artistas, temos que destacar Gaudí, que concluímos que era um autêntico génio e nos deliciou com a sua obra.

 

 

 

 

ODIÁMOS:

 

Churros com chocolate - para provar os famosos churros com chocolate, fomos à churreria "Granja La Pallaresa", sugerida pelo nosso guia das FWT e colocada no top 10 de Barcelona. Mas a verdade é que não gostámos mesmo nada. O chocolate era demasiado amargo e não combinava nada bem com os churros, que até eram saborosos (sem chocolate).

 

Insegurança - apesar de não nos terem roubado nada, fomos constantemente alertados por várias pessoas para o perigo dos pickpockets. O cuidado constante que tivemos que ter com os nossos pertences, acabou por ser algo chato.

 

 

O balanço é claramente positivo. Gostámos muito de Barcelona e esperamos voltar brevemente!

Adiós, chiquititos!

Poupámos em Barcelona

Por esta altura, quem vai deitando um olhinho ao #EntreNós já percebeu o quão forretas - ou, se preferirem, poupadinhos - somos.

Apesar de termos a viagem mais ou menos estruturada, a duração da nossa aventura terá uma estreita relação com o dinheiro gasto. Ou seja, preferimos partillhar uma paelha e 3 tapas e visitar mais uma cidade do que optar por um buffet e um jarro da melhor sangria e ficar lisos daqui por umas semanas.

Apresentamo-vos, então, algumas coisas em que conseguimos poupar na nossa passagem por Barcelona:

 

T10

Este passe foi a escolha óbvia, uma vez que permite viajar em metro, autocarro e comboio e, além disso, possibilita a uilização por pessoas diferentes. No nosso caso, comprámos apenas um T10 e cada vez que viajávamos, validávamos duas vezes (uma por cada um). Há, ainda, a vantagem de poder ser comprado e utilizado logo à saída do aeroporto. - Se forem a Barcelona não comprem o bilhete de autocarro sugerido no aeroporto. Comprem o T10.

 

 

Alimentação

Conciliar a degustação de algumas das especialidades das cidades por que passamos, com a poupança, não é fácil. Primeiro porque em muitos locais há várias delícias que queremos provar. Depois, porque algumas delas apresentam preços um bocado puxadotes para a nossa carteira. 

Como mencionámos em cima, em Barcelona conseguimos poupar ao partilhar um menu de "3 Tapas + Paella + 1 copo de Sangria", que ficou por 9€.

 

12573901_10207058098403191_49275659896802307_n.jpg

 

 

Na Boqueria experimentámos algumas coisas com preços "forretas' friendly", nomeadamente, os sumos naturais e embalagens com frutas variadas. Além disso, há sempre umas bancas a oferecer alguns produtos para prova - os torrões de Alicante (que são deliciosos), presunto, frutos secos, etc.

 

12552776_10207058140564245_4689376331097916916_n.j

 

Não se esqueçam: a poupar a poupar, o João e a Catarina vão continuar a viajar!

 

 

 

 

"Sabias que..." - Barcelona

Nós não somos os sabichões do mundo. As curiosidades que vamos contar provêm de informações não-oficiais cedidas ora pelos guias das Free Walking Tours (FWT), ora por habitantes das cidades por que passamos.

 

 

Caganers

Os espanhóis são estranhos. É tradição colocar no presépio ou árvore de natal estes bonecos defecadores. Os caganers surgiram nos finais do século XVIII, simbolizando os camponeses que utilizavam as fezes para fertilizar as suas terras. Actualmente, são vendidos durante todo o ano e existem caganers de tudo e mais alguma coisa: jogadores do Barça, figuras públicas, heróis de banda desenhada, até do Papa!..

el-caganer-0011.jpg

 

 

 

Casa Calvet

Esta é provavelmente a obra mais conservadora de Gaudí. Só havia duas razões para este génio construir algo tão básico: estar a receber ordens, sendo bem pago, ou ter sido possuído pelo demónio da banalidade. Neste caso foi a primeira opção - o senhor Calvet tinha muito dinheiro.

Porém, o bichinho da criatividade/loucura/originalidade - o que lhe quiserem chamar - falou mais alto e Gaudí encontrou uma maneira de dar um toque seu à obra. Literalmente.

Para tocar à porta da casa Calvet, Gaudí criou uma elaborada maçaneta de ferro forjado em forma de cruz grega e que golpeia num percevejo, simbolizando a fé a esmagar o pecado. 

 

18afbff650442501ce8389ca70f749c8.jpg

 

 

 

Dia de Saint Jordi

A 23 de Abril de mil quatrocentos e qualquer coisa, quando ainda havia dragões, a Catalunha era sobrevoada por um feroz lançador de chamas.

Depois de muitas ameaças, o rei, sem saber mais o que fazer, foi falar com o dragão e perguntou-lhe o que queria em troca para não destruir a sua bela cidade.

O dragão, com níveis de testosterona 10 vezes superiores aos do comum mortal, exigiu ao rei uma virgem por dia.

E assim foi. Contudo, depois de todas as virgens terem sido entregues ao dragão, restava apenas...... a sua filha!

Eis quando o rei decide chamar o seu melhor cavaleiro: Saint Jordi. Este, munido da sua espada, batalha com o dragão durante horas, acabando por lhe acertar em cheio no coração.

O dragão começou, então, a esvair-se em sangue, acabando por morrer aos pés de Saint Jordi.

Foi então que do seu sangue nasceu uma bela rosa que Saint Jordi colheu e ofereceu à princesa que lhe agradeceu com um beijo apaixonado. E viveram felizes para sempre!

 

Para comemorar este episódio, é tradição no dia 23 de Abril, os rapazes da Catalunha oferecerem às señoritas uma rosa. Como este dia é também o dia da morte de Cervantes, elas retribuem este gesto, oferecendo um livro. É a versão espanhola do Dia dos Namorados.

sant jordi.png

 

 

O morcego salvador

Reza a lenda que, algures numa madrugada no século XIII, os árabes se preparavam para invadir o reino de Aragão. Porém, alguns minutos antes do ataque, os aragoneses foram miraculosamente salvos por um morcego que, ao chocar contra um tambor, os despertou, permitindo que se apercebessem do ataque eminente e se preparassem para a luta.


Há mais algumas curiosidades que aprendemos em Barcelona, mas se vos contássemos tudo......... teríamos que vos matar!

uahahahahhaa! :D


Que hacer en Barcelona? - Parte II

Continuando a passear por Barcelona:

 

Comer tapas e paella: com o dinheiro contado, não pudemos ir à procura do melhor, por isso, tentámos conjugar alguma qualidade e preço acessível. Encontrámos um restaurante com um menu bastante apetecível e a comida até acabou por ser aceitável - somos suspeitos, porque já comemos a melhor paella do mundo - a do pai da Catarina!
O restaurante chama-se "Tapas Royale" e situa-se na Carrer Escudellers (Metro mais próximo - Liceo).

 

 

1517_10207051348594450_2415155473897234896_n.jpg

 

 

 

 

Festejar um título do Barça na Font des Canaletes: localizada no início da Rambla (perto da praça Catalunya), esta fonte é o local onde os apaixonados adeptos culés (a origem deste nome dado vem do período de 1909 a 1922, em que o público se sentava na bancada e deixava os "culos" saídos para a rua).

 

El-origen-de-la-palabra-cule.jpg

 

 

 

Portanto, quer o Barça ganhe uma liga ou uma copa, quer seja o meio de uma época e não haja títulos para festejar, arranca até à rambla e festeja que nem um(a) louco(a)! Ninguém se vai chatear e provavelmente terás uns quantos malucos a entoar cânticos blaugranas contigo! 

 

12549095_10207051344074337_1150322009792992756_n.j

 

 

 

Pegar numa bicicleta e percorrer a cidade: Barcelona é uma cidade plana, pelo que se torna ideal para a utilização de bicicletas - está no top 10 de cidades para pedalar. Além disso, há ainda locais específicos em que poderás levar uma amiga de duas rodas e passar uns bons momentos, como o Parc Ciutadella, Parc Güell ou a marginal (Passeig de Colom).

Bicicleta + força nas canetas + 2h livres = Programa ideal para queimar as calorias das tapas, paella e churros com chocolate. 

 

12439046_10207051353794580_7896571299038849600_n.j

 O amplo Passeig de Colom (e o amplo aborrecimento de um dos elementos do #EntreNós)

 

 

 

Ir até ao mercado La Boqueria e provar comida de todas as cores e feitios: o famoso mercado situado sensivemente a meio da Rambla oferece uma grande variedade de alimentos: bancas cheias das mais diversas frutas, repletas de sumos naturais - se bem que muitos deles parecem ter um pouco de água à mistura - presuntos, torrões, chocolates de todas as formas e feitios, marisco, etc. 

 

12417936_10207051351794530_232247906302119215_n.jp    

12552776_10207058140564245_4689376331097916916_n.j  

12573964_10207058140484243_2630458614483737377_n.j

 

 

 

 

Tirar uma selfie no Parc Güell com Barcelona como plano de fundo: o caminho até este parque faz lembrar a ascensão das almas ao céu, na qual chegamos ao topo e temos logo ali o paraíso a sorrir para nós. Árvores, flores, música ao vivo e até pequenas inocentes lagartas no chão - que em breve serão belas borboletas e que fizeram a Catarina ficar no limbo por instantes - tudo contribuiu para que a nossa recepção fosse divinal.  

 

 

12573733_10207058346889403_1494861503058363242_n.j

 

 


Temos a certeza que estamos nas alturas quando vemos a Sagrada Família - claramente em destaque no meio de tanta Barcelona - mas que se faz parecer tão pequena lá tão em baixo. A vista é bonita e por momentos sabe bem estar ali. Apenas estar.

Como se não bastasse toda esta envolvência, eis que o parque foi construído pelo Deus Gaudí. Querem mais motivos para visitar este parque?

 

12565612_10207058346769400_6445197456682880156_n.j

 

 

Nós optámos por não entrar pois estávamos a guardar os nossos trocos para ver um filme 4D que a guia das FWT nos recomendou sobre Gaudí - 8€ a entrada. Mas ficámos tanto tempo "no céu" que acabámos por deixar escapar o filme. Ficam os dois para a próxima!

Aliás, Barcelona estará #EntreNós de novo, sem dúvida! 

 

Que hacer en Barcelona? - Parte I

Erro nº 1: passar menos de 3 dias em Barcelona. 

Se não quiserem passar o voo de regresso/partida de Barcelona a chorar baba e ranho, o melhor é planearem uma visita de 3 ou mais dias à capital da Catalunha. Nós fomos dos que chorámos baba e ranho. Dois dias souberam a pouco. No entanto, vamos deixar-vos com as nossas escolhas e conselhos, o tal "Must Do" de Barcelona.

 

Free Walking Tours:

http://freewalkingtoursbarcelona.com/tours/

 

Como não podia deixar de ser, fomos conhecer Barcelona orientados pelos sempre divertidos e apaixonados guias das FWT. A mesma companhia oferecia 4 tours diferentes. No 1º dia optámos pela Gothic Route, em que pudemos conhecer muitos dos monumentos da parte antiga da cidade, curiosidades malucas, histórias e lendas divertidas.

 

12549048_10207051511358519_9140892170355166596_n.j

 

 

 

Ao longo do caminho o nosso guia - curiosamente um norte-americano chamado Ian - foi-nos dando sugestões dos melhores locais para comer, beber e dançar.

 

Mais tarde acabámos por provar os churros com chocolate numa das pastelarias sugeridas e........ depois falamos sobre isso.


12509516_10207051346154389_6219507014265195922_n.j

 




No 2º dia, não podiíamos falhar o incontornável Gaudí e fizemos, então, a Gaudí Route, com a Angelique - uma caminhada pela l'eixample (extensão) de Barcelona - a parte moderna - a terminar na Sagrada Família.

Para não fugir à regra, o passeio foi bem divertido, com uma série de histórias interessantíssimas sobre este génio/louco artista catalão e a história da cidade e do país - deixaremos algumas delas para um próximo post. 

Só foi pena a Sagrada Família estar em obras........ há mais de 100 anos!

 

Adorámos a Sagrada Família! É um monumento muito peculiar, pois, além da sua gigantez, é algo humano, com uma certa bipolaridade: o lado mais depressivo e o lado mais alegre. Mas nada como googlar para ficar a conhecer mais profundamente esta magnífica obra. 

 

 

 

12509716_10207051559599725_8452444595292658431_n.j

 

Se não conseguires ir a Barcelona mas mesmo assim tens "ver a Sagrada Família" na tua Bucket List, deixamos-te uma batota aqui em baixo: 

 

https://www.youtube.com/watch?v=RcDmloG3tXU

 

Voltaremos para a Parte II. Olé!

Hola, Barcelona!

Deixámos o nosso querido Porto e chegámos ao primeiro país estrangeiro da viagem: nuestros hermanos españolitos (já sabemos escrever em castelhano e tudo!)!

 

Voo um pouco mais longo que o Lisboa-Porto. Em 1h45 estávamos a aterrar em El Prat. Ainda assim, mal demos pelo passar do tempo, uma vez que viemos entretidos a jogar poker chinês (o João está apaixonado por esta alternativa ao poker "normal" e já viciou a Catarina).

 

A arte em Barcelona começou logo no aeroporto: o caballo negro de Fernando Botero (escultor colombiano) e um colorido mural de Joan Miró que é impossível não reparar. 

 

12507205_10207024948934475_8041266891213212208_n.j

 

 

 

A nossa host catalã - Maria "Piccola" -  amiga de uma prima do João (Obrigado, prima Rita M.!!! :D <3) vive em La Barceloneta - um bairro marinheiro do distrito de Ciutat Vella de Barcelona, construído durante o século XVIII. 

 

Infelizmente não conseguimos tê-la #EntreNós porque mal parámos em casa e no último dia ela saiu para um passeio pelas montanhas.

 

A melhor opção para o trajecto foi o comboio até à Estació de França (a 5 min. a pé de La Barceloneta). Comprámos um "T 10" - passe para metro, autocarro e comboio, que pode ser usado por mais que uma pessoa (neste caso, utilizámos 5 viagens cada um). Sem dúvida, uma excelente opção.

 

A Maria foi super simpática e recebeu-nos muito bem! 

 

Banho, post sobre o Porto e cama que só tínhamos dois dias em Barcelona e queríamos acordar cedinho para os aproveitar.



 

Pág. 1/2