Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

EntreNós

Google Maps #EntreNós

É certo que não há uma única pessoa que nunca tenha ouvido falar no Google Maps. No entanto, nem todos devem saber das suas possibilidades infinitas e que tanto jeito nos deram nesta viagem!

 

Desde o "pré-viagem" à viagem em si, o Google Maps tem sido um fiel companheiro. 

 

Cenas fixes do Google Maps: 

Usar offline: Esta é das melhores coisas da app! Basta guardar a zona que vamos precisar de utilizar (tem que se estar online para guardar) et voilá! Temos 30 dias para usufruir desse mapa, mesmo estando offline. Bye bye mapas de papel!

Onde está a rua mínima, que nem tem direito a ter o seu nome no mapa, mas que é precisamente onde se situa a casa onde vamos ficar? Coloca-se o nome no Maps e tcharan!

O melhor de tudo é que - mesmo offline - o Maps detecta a nossa localização e facilita a orientação (quantas vezes não vos aconteceu já saber para onde querem ir mas não saber onde estão?).

 

Estrelar: guardar/marcar os locais que nos interessam. É necesário estar online para o fazer, mas depois as estrelinhas aparecem, mesmo quando estamos offline. Não há coisa mais bonita que ter um mapa estrelado! Os locais onde já fomos e onde queremos estão representados pelas nossas estrelinhas. É uma espécie de Scratch Map (que agora tanto está na moda), mas em vez de riscado, o mapa está estrelado.

 12718118_1291292827553064_7721347182950514526_n.jp

Traçar rotas alternativas: óptimo se quisermos contornar as mais populares ruas cheias de restaurantes e seus empregados que nos imploram que lá fiquemos a jantar às 17h da tarde e quase nos obrigam a entrar. "Maybe later!" - só que não!

 

Há, ainda, a possibilidade de viajar sem sair de casa.

Neste site podemos visitar cidades sentados no nosso sofá! Confessamos que é bem mais divertido fazê-lo pessoalmente, mas, sempre é uma forma mais fácil e gratuita de conhecer o mundo.

 

 

Estes são os nossos "Must do" do Google Maps, mas não somos mega pros, sendo esta apenas a nossa perspectiva. Provavelmente haverá até outras 101 ferramentas fantásticas que nós desconhecemos. Se souberem mais mega utilidades, não hesitem em partilhá-las #EntreNós! :)

Poupámos em... London

De alguma forma comparável a Paris, Londres andará no top 10-15 das cidades mais caras da Europa. Ainda assim, há sempre espaço para umas poupanças. Nós contamos tudo.

 

 

Oyster card

Londres é uma cidade grande e contrariamente a Barcelona ou Dublin, por exemplo, não dá para atravessar a pé (dar dá, mas é capaz de se traduzir numas quantas horas e umas dores de costas lixadas).

Londres tem o metro mais antigo do mundo (1863). Foi um sucesso e foi, de imediato, copiado por outras metrópoles mundiais. A rede do metro de Londres é gigante – desafiamos as admiráveis pessoas que sabem as estações todas do de Lisboa a decorar as de Londres!

A forma mais poupada de viajar em Londres é comprar o Oyster card, uma espécie de “Lisboa Viva”, que se carrega (“top up”) à medida que se necessita (“pay as you go”). O cartão custa 5£ (reembolsáveis com a devolução do cartão, tal como o crédito não utilizado). O Oyster dá para metro e autocarro (onibus, para os nossos amigos brasileiros), mas nós nunca precisámos de andar de autocarro.

 

Foto na Plataforma 9 e ¾

Verificamos agora que esta nos escapou na lista de “must do” de Londres. Caraças… Esta cabeça já não dá para tudo. Ainda assim, os amantes de Harry Potter não podem deixar de passar pela estação King’s Cross St. Pancras e tirar a foto da praxe na plataforma 9 e ¾. E “onde é que está a poupança?”, perguntam vocês. Explicamos já: todos os dias haverá uma fila bem composta para tirar a foto. E todos os dias haverá uma fotógrafa da loja oficial para vos gravar para a eternidade a fingir que se atiram em voo para uma parede mágica. Claro está que se pretenderem ter essa maravilhosa e profissional foto terão que desembolsar uma quantia não tão maravilhosa de libras. A parte da poupança é que, ao contrário de outras situações semelhantes, aqui é permitido tirarmos as nossas próprias fotografias. Portanto, peçam ao amigo ou, se forem sozinhos, a um simpático turista atrás de vocês na fila, et voilá! Foto à pala!

IMG_2666.PNG

 


“Ripley’s Believe it or not” depois das 17h

A atração de que vos falámos num post anterior sobre os “Must do” de Londres tem o preço de 27,95£, se se comprar no próprio dia; 23,76£ se se reservar com entre 1 e 13 dias de antecedência; mas fica por apenas 16,95£ para entradas após as 17h. Dá perfeitamente tempo para ver tudo, não se preocupem! – só fecha à 00h.

 

 

Starbucks

Os preços do Starbucks não variam muito de país para país. E apesar de ser um extra para a nossa carteira, não resistimos a um Mocha de vez em quando. Em Londres, no entanto, adoptámos uma batota: aproveitámos o facto de em alguns Starbucks haver termos com leite; levávamos o nosso prórpio termo e preparávmos o nosso leite achocolatado. #tugasdesavergonhados

 IMG_2665.PNG

 

Musicais

Há vários locais/formas de comprar bilhetes para um dos famosos musicais de West End. Descobrimos que online os descontos podem chegar aos 60%! Cuidado, no entanto, a comprar bilhetes naquelas barraquinhas não-oficiais. Num dos teatros aconselharam-nos a procurar sempre locais oficiais, porque andam por lá uns quantos falsificadores malandros.

Poupámos em Barcelona

Por esta altura, quem vai deitando um olhinho ao #EntreNós já percebeu o quão forretas - ou, se preferirem, poupadinhos - somos.

Apesar de termos a viagem mais ou menos estruturada, a duração da nossa aventura terá uma estreita relação com o dinheiro gasto. Ou seja, preferimos partillhar uma paelha e 3 tapas e visitar mais uma cidade do que optar por um buffet e um jarro da melhor sangria e ficar lisos daqui por umas semanas.

Apresentamo-vos, então, algumas coisas em que conseguimos poupar na nossa passagem por Barcelona:

 

T10

Este passe foi a escolha óbvia, uma vez que permite viajar em metro, autocarro e comboio e, além disso, possibilita a uilização por pessoas diferentes. No nosso caso, comprámos apenas um T10 e cada vez que viajávamos, validávamos duas vezes (uma por cada um). Há, ainda, a vantagem de poder ser comprado e utilizado logo à saída do aeroporto. - Se forem a Barcelona não comprem o bilhete de autocarro sugerido no aeroporto. Comprem o T10.

 

 

Alimentação

Conciliar a degustação de algumas das especialidades das cidades por que passamos, com a poupança, não é fácil. Primeiro porque em muitos locais há várias delícias que queremos provar. Depois, porque algumas delas apresentam preços um bocado puxadotes para a nossa carteira. 

Como mencionámos em cima, em Barcelona conseguimos poupar ao partilhar um menu de "3 Tapas + Paella + 1 copo de Sangria", que ficou por 9€.

 

12573901_10207058098403191_49275659896802307_n.jpg

 

 

Na Boqueria experimentámos algumas coisas com preços "forretas' friendly", nomeadamente, os sumos naturais e embalagens com frutas variadas. Além disso, há sempre umas bancas a oferecer alguns produtos para prova - os torrões de Alicante (que são deliciosos), presunto, frutos secos, etc.

 

12552776_10207058140564245_4689376331097916916_n.j

 

Não se esqueçam: a poupar a poupar, o João e a Catarina vão continuar a viajar!